terça-feira, 28 de junho de 2011

Lúcifer

Não tenho postado porque tenho estado muito envolvida com meu trabalho acadêmico. O semestre está terminando, vocês sabem como é.

Hoje pensei em comentar com vocês um dos muitos seminários interessantes que foram apresentados na disciplina “Tradução e Ética” este semestre. Trata-se do “ensaio teológico” Lúcifer, a invenção de um nome, do Prof. José Ribeiro Neto. Para visualizar os textos no original hebraico, grego e aramaico é preciso instalar as fontes, mas é possível acompanhar o artigo sem saber essas línguas. De qualquer forma, eu achei mais confortável baixar o pdf aqui.

Não creio que seja uma “descoberta” do meu colega, pois eu já havia lido textos em inglês a esse respeito. Mas o trabalho é bastante convincente, mostrando que a palavra “Lúcifer”, um hapax legomenon (palavra que ocorre apenas uma única vez em uma única obra, no caso a Bíblia), não seria, na verdade, um nome próprio. Ou seja, o nome “Lúcifer” seria um erro de interpretação ou uma invenção da tradição teológica.

2 comentários:

oprofessoramador disse...

Eu acho - posso estar muito errado, faz 30 anos que li - que em "A História do Demônio" (do Fernando G. Sampaio) algo assim é mencionado... Ou não, sei lá...
:-)

Cláudia Martins disse...

Ah, que ótimo, obrigada pelo comentário. Vou pesquisar.

Postar um comentário